Diretrizes do Movimento Borandá

O Movimento Borandá é regido por princípios e valores que visam a melhor integração do homem com o meio ambiente. Por meio de caminhadas nas trilhas do Caminho da Mata Atlântica, busca-se aproximar as pessoas da mata e com isso desenvolver nelas o respeito pela natureza. Seguimos as mesmas Diretrizes da Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada.

 

Boy walking on footpath in autumn or winter concept for healthy lifestyle1. Reconhecimento da importância do livre acesso às trilhas

As áreas frequentadas pelos visitantes do Caminho da Mata Atlântica inibem a prática de atividades danosas como extração de recursos, caça e ocupação ilegal.

2. Direito de acesso

Todos têm o direito de acesso às trilhas do Caminho da Mata Atlântica. A existência de Unidades de Conservação, que visam a proteção dos recursos naturais, não devem retirar a liberdade dos visitantes, entretanto eles devem respeitar a práticas de mitigação de impactos no meio ambiente.

3. Responsabilidade no acesso

É preciso que os frequentadores das trilhas assumam a responsabilidade de promovê-las e de conservar o seu entorno, respeitando os animais, as propriedades, a vegetação, os outros usuários e as comunidades que existam nas proximidades que, ocasionalmente, podem ter interesses distintos.

4. Responsabilidade pessoal

O praticante é responsável por escolher o nível de dificuldade de sua trilha. Cada pessoa deve conhecer os seus próprios limites e saber o seu nível de experiência e capacidade, tornando-se responsável por sua própria segurança.

5. Responsabilidade Civil

Os proprietários privados e gestores de Unidades de Conservação não devem ser responsabilizados civil ou criminalmente pelo que acontecer nas trilhas. Os riscos da atividade são assumidos pelos próprios visitantes do Caminho da Mata Atlântica.

6. Liberdade e seus limites

A liberdade é um valor fundamental da vida na natureza e de todos os biomas. Mas é fundamental que a liberdade de cada pessoa termine onde começa a do próximo e que não haja o desrespeito ao meio ambiente. É isso que cada participante do Movimento Borandá deve ter: liberdade com responsabilidade.

7. Autonomia

Os visitantes das trilhas devem ter o direito de escolher seus desafios e aventuras. Por isso, os guias devem interferir o mínimo na experiência de cada indivíduo, priorizando a diversidade de experiências e as necessidades de cada um.

8. Desafios

A caminhada nas trilhas pressupõe a aceitação dos desafios naturais. Esse é um dos fatores que motiva e torna a experiência ainda mais intensa e memorável.

9. Compromisso com o Meio Ambiente

Equilibrar as caminhadas com a conservação da natureza é um dos principais focos do movimento Borandá.  É essencial que os biomas se mantenham conservados e livres de práticas que possam afetar a diversidade da vida na Mata Atlântica. As atividades nas trilhas devem ser promovidas de forma sustentável, como instrumento de preservação e conscientização ambiental.