Borandá – juntos pela Mata Atlântica

O Borandá é um movimento que tem como objetivo convidar-nos a conhecer melhor a Mata Atlântica, por meio de caminhadas e atividades ao ar livre em áreas protegidas.  O projeto está sendo construído por meio de um esforço conjunto de vários atores – sociedade civil, governo, empresas, meios de comunicação social – catalisada pelo WWF-Brasil, no âmbito do Programa Mata Atlântica.

O Movimento Borandá – neologismo que une as palavras “bora” e andar” – interliga diversas áreas ambientais protegidas, por meio de uma trilha de longo alcance batizada de Caminho da Mata Atlântica. O percurso terá mais de 2 mil quilômetros de caminhos interligados, que passam por 70 unidades de conservação públicas e privadas ao longo de quatro estados – Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro.

Por que criar uma cultura de atividades ao ar livre

Valorizar a natureza

As trilhas levam as pessoas a descobrir ou redescobrir a beleza cênica dos ambientes naturais, criados pela natureza. Para crianças que vivem nos centros urbanos, este contato direto com o ambiente natural ajuda a formar memórias positivas e permanentes, criando uma conexão para toda a vida, além de um amor pelas atividades ao ar livre. Muitos dos adultos que lideram a luta pelo meio ambiente adquiriram este amor quando tiveram contato com a natureza quando crianças.

Renovação urbana, História & Cultura

As trilhas ajudam as pessoas a terem um contato mais direto e frequente com o entorno de suas cidades e comunidades. Além disso, as trilhas, especialmente as localizadas em regiões com forte conteúdo histórico, ajudam as pessoas a conhecerem melhor as heranças históricas e culturais da sociedade.

Saúde

É fato. As crianças de hoje praticam menos atividades ao ar livre do que os prisioneiros. O Movimento Borandá nasce como alternativa saudável para que elas pratiquem essas atividades. Para os adultos, caminhar ou correr regularmente têm impacto também na saúde pública, na medida em que ajuda a diminuir a necessidade de tratamentos custosos para doenças do coração, diabetes, obesidade e hipertensão.

Economia

As trilhas podem ajudar e dinamizar a economia tanto em regiões urbanas, como rurais, já que alimenta uma cadeia de valores complexa, que inclui alojamentos, aluguel de equipamentos, roupas e vestimentas, merchandising, guias e serviços de turismo conexos etc. De acordo com a Associação Americana da Indústria Outdoor, em 2012 o setor girou 646 bilhões de dólares e criou cerca de 6,1 milhões de empregos.